QUANDO – de Rubens Romanelli, 1949

QUANDO – de Rubens Romanelli, 1949

Filho meu!

QUANDO, nas horas de íntimo desgosto, o desalento te invadir a alma e as lágrimas te aflorarem aos olhos, busca-me: eu sou aquele que sabe sufocar-te o pranto e estancar-te as lágrimas;
QUANDO te julgares incompreendido dos que te circundam e vires que, em torno, a indiferença recrudesce, acerca-te de mim: eu sou, sob cujos raios se aclaram a pureza de tuas intenções e a nobreza de teus sentimentos;
QUANDO se te extinguir o ânimo para arrostares as vicissitudes da vida e te achares na iminência de desfalecer, chama-me: eu sou FORÇA capaz de remover-te as pedras dos caminhos e sobrepor-te às adversidades do mundo;
QUANDO, inclementes, te açoitarem os vendavais da sorte e já não souberes onde reclinar a cabeça, corre para junto de mim: eu sou o REFÚGIO, em cujo seio encontrarás guarida para o teu corpo e tranqüilidade para o teu espírito;
QUANDO te faltar a calma, nos momentos de maior aflição, e te considerares incapaz de conservar a serenidade de espírito, invoca-me: eu sou a PACIÊNCIA, que te faz vencer os transes mais dolorosos e triunfar das situações mais difíceis;
QUANDO te debateres nos paroxismos da dor e tiveres a alma ulcerada pelos abrolhos dos caminhos, grita por mim: eu sou o BÁLSAMO que te cicatriza as chagas e te minora os padecimentos;
QUANDO o mundo te iludir com suas promessas falazes e perceberes que já ninguém pode inspirar-te confiança, vem a mim: eu sou a SINCERIDADE, que sabe corresponder à franqueza de tuas atitudes e à nobreza de teus ideais;
QUANDO a tristeza e a melancolia te povoarem o coração e tudo te causar aborrecimento, clama por mim: eu sou a ALEGRIA, que te insufla um alento novo e te faz conhecer os encantos de teu mundo interior;
QUANDO, um a um, te fenecerem os ideais mais belos e te sentires no auge do desespero, apela para mim: eu sou a ESPERANÇA, que te robustece a fé e te acalenta os sonhos;
QUANDO a impiedade recusar-se a relevar-te as faltas e experimentares a dureza do coração humano, procura-me: eu sou PERDÃO, que te levanta o ânimo e promove a reabilitação de teu espírito;
QUANDO duvidares de tudo, até de tuas próprias convicções, e o cepticismo te avassalar a alma, recorre a mim: eu sou CRENÇA, que te inunda de luz o entendimento e te habilita para a conquista da Felicidade;
QUANDO já não provares a sublimidade de uma afeição terna e sincera e te desiludires do sentimento de teu semelhante, aproxima-te de mim: eu sou a RENÚNCIA, que te ensina a olvidar a ingratidão dos homens e a esquecer a incompreensão do mundo;
E QUANDO, enfim, quiseres saber quem sou, pergunta ao riacho que murmura e ao pássaro que canta, à flor que desabrocha e à estrêla que cintila, ao moço que espera e ao velho que recorda. Eu sou a dinâmica da vida, e a harmonia da Natureza: chamo-me AMOR, o remédio para todos os males que te atormentam o espírito.
Estende-me, pois, a tua mão,
ó alma filha de minh’alma, que eu te conduzirei, numa seqüência de êxtases e deslumbramentos, às serenas mansões do Infinito, sob a luz brilhante da Eternidade.

Rubens Costa Romanelli (1913-1978) é mineiro de Divinópolis. A mensagem acima consta de seu livro “O Primado do Espírito” – Publicações Lachatre.

Mensagem postada em 17/03/2011 por Jânio Alcântara

UM ROTEIRO PARA MEDITAÇÃO

UM ROTEIRO PARA MEDITAÇÃO
Por Teka Barbosa

Eis um roteiro de meditação (em meio a diversos tipos e estilos), a partir de recomendações de Leslie Temple-Thurston:

No início, meditar de 10 a 20 minutos, no mínimo. Pela manhã: após acordar e tomar banho. À noite: após chegar do trabalho e tomar banho.
Reservar um mesmo lugar para meditar.
Auxilios auditivos distraem a mente: músicas, mantras ou tudo que auditivamente ajude a mente a esvaziá-la de todos os pensamentos. Se preferir, pode meditar sem música nenhuma, somente cultivando o silêncio interior.
Sentar com a coluna confortavelmente ereta para que a energia que percorre a coluna vertebral circule com fluidez. Pode ser numa cadeira que possua encosto reto ou no chão, sobre almofada ou banquinho específico para meditação.
Observar se o corpo está confortável e equilibrado. Caso haja rigidez ou nós na musculatura, tentar alongar e/ou massageá-los, a fim de soltá-los e ativar a circulação.
Já bem instalado, respire várias vezes, com consciência, de forma profunda e lenta. Inspire alegria, luz, energia positiva e expire liberando tensão e negatividade.
Se optar por um foco (a chama de uma vela, uma imagem/foto de um ser espiritual etc.) para iniciar a meditação, pouse os olhos, gentilmente, sobre o objeto focalizado. Após certo tempo, feche os olhos, relaxe e mergulhe em sua meditação.
Quando surgirem pensamentos, ignore-os. Se não conseguir, gentilmente, desconecte a consciência deles e continue deixando-os passar o máximo que puder. Não se apegue aos pensamentos que vierem.
É importante que não julguemos nossas meditações. No início, os pensamentos poderão estar muito presentes. Com o tempo e a disciplina, observará seu progresso e a sensação de bem-estar e paz interior, ante qualquer situação.
O estado de meditação é um estado de não-fazer, de simplesmente ser. Nunca force coisa alguma.
No estado meditativo, você se disponibiliza e fica receptivo para se preencher da luz espiritual. Esta é bastante sutil e, no início, não será discernida com facilidade, mas ela está aí. Acredite de coração.
Ao terminar a meditação, fique de 10 a 15 minutos sem fazer esforço físico e/ou mental a fim de deixar que a energia da luz espiritual seja assimilada pelo (seu) Ser.
A meditação nos ensina a estar num processo lento, constante e progressivo de estabilização da consciência.
Meditando pelo menos 2 vezes ao dia, suas meditações terão efeito sobre seu entorno familiar, profissional, nos relacionamentos em geral. Ao meditar, você está gerando um campo de energia benigno e unificado, que se expande pelo mundo.
Um dos efeitos do cultivo da meditação é o abrandamento de atitudes de arrogância, preconceitos, ódio e violência que hoje ainda são mantidas pela maioria das pessoas, que geram e reforçam o inconsciente coletivo que pode ser modificado para mais paz, harmonia e luz. Podemos fazer a diferença no planeta. Medite nisto! Paz e Bem!

Postado em 15/04/2011 por Jânio Alcântara

EXERCÍCIO PRÁTICO DA SEMANA – 31/05

Observe os momentos que você se sentiu com raiva, em desarmonia interna e lembre-se: você pode escolher NÃO seguir na direção da raiva.
Ao final do dia, faça a sua reflexão, se você atingiu seu objetivo de não dar seguimento à atitude que a raiva lhe sugeria.

Medite também, por um minuto, inspirando profundamente e mentalizando a palavra paz. Aquietando a mente e o coração. Apenas 1 minuto por dia, dedicado à pacificação e a brandura interior.

De hoje até a próxima quinta, dedique-se a este exercício.
Paz e Bem a todos!

MÚSICA QUE TOCA A ALMA

Músico profissional desde o início dos anos 1980, quando foi membro-fundador da banda de rock Eurythmics, o flautista britânico Tim Wheater começou uma viagem, uma peregrinação para explorar as origens da expressão musical do homem. Através dessa busca pessoal, ele descobriu uma rica tradição e a antiguidade da música que serve um papel fundamental na cura da mente e do corpo.

Em 1988, sofreu uma doença debilitante, como resultado de um incidente de intoxicação por água contaminada por sulfato de alumínio em Cornwall, condado da Inglaterra. Isso o levou a uma paralisia severa nos lábios e nos dedos, tornando impossível tocar sua flauta. Mesmo diante dessa situação dolorosa ele continuou na sua busca de conhecimento.

Viajando pelo mundo – da Índia mística ao estudo com os índios norte-americanos e os aborígines da Austrália – para manter contato com profunda sabedoria interior da alma, Wheater foi aumentando gradualmente sua compreensão de como o som e a música podem tocar em uma energia de cura profunda. No processo de cultivar a sua própria voz como um instrumento, ele curou-se gradualmente e recuperou a sensibilidade nos lábios e mãos.

Logo, Wheater tornou-se palestrante dando voz ao conceito de cura do som. Como sua capacidade de tocar a flauta voltou, suas composições ganharam novo significado como ele expressa as idéias profundas adquiridas com a sua peregrinação.

Em 2008, gravou o disco Invisible Journeys, com a cantora Natalie Shaw e o tecladista David Lord. Nele, há uma das músicas mais belas que já ouvi nos últimos tempos e que me tocou profundamente o coração, mesmo que não entendesse o que estava sendo dito porque cantada em sânscrito. É uma das melodias que costumo solar ao violão, durante as preces, no início ou no final de nossas reuniões e que foi criada pelo trio liderado por Weather. A letra é da oração mais antiga do mundo, chamada Gayatri Mantra. Abaixo, compartilho seu video, acompanhando imagens de encantadores fractais.

Posso escutar esta música repetidas vezes, por horas seguidas, sem me cansar ou dela me enjoar. Cada vez que ouço é como se fosse a primeira vez. É-me indizível a sensação confortável que essa música causa.

Matéria postada por Jânio Alcântara em 09/05/2011

Consciência Respiratória

A música que emoldura a video mensagem acima vem da República da Lituânia. Chama-se  Lašeliai, que em português significa “Gotas”. É cantada de forma mui suave pela atriz, cantora e pianista lituana Inga Jankauskait. Além da canção e das belas imagens, o que mais importa é o texto que ensina como ter consciência respiratória. Eis a mensagem completa, sem autor conhecido:

“Modifique sua emoção através da respiração!
Respire fundo e só observe.
As gotas de água vindas do céu…
Observe sua respiração por um momento…
Não a modifique, só observe. Aonde ela está? no peito? no abdomen?
Se ela estiver no peito, observe-a…
Tem opressão? Tem ansiedade? Tem aperto?
Respire fundo… Mais uma vez… E mais uma vez…
E que tal levar este ar também para o abdomem?
Respire bem grande… aumentando seu espaço interior…
Imagine seu corpo como sendo um enorme balão…
Coloque muito ar dentro deste balão…
Quando estiver cheio, segure um pouco e observe.
E agora esvazie lentamente, tirando todo o ar…
Depois de uma pausa, repita o mesmo movimento!
Inspire… Segure… E expire…Tire todo o ar… Se observe novamente…
Como está sua respiração agora? E seu espaço interno? E o aperto, diminuiu?
Lembre sempre: para diminuir o aperto do peito, precisamos respirar mais fundo abrindo o nosso espaço interno…
Isto é de graça e podemos fazer a qualquer hora e em qualquer lugar…
Basta ter consciência respiratória!
Este movimento fisiológico tem a capacidade de alterar as nossas emoções em poucos minutos…
Mas para isso precisamos sair da nossa zona de conforto e temos que agir…
Pois muitas vezes em momentos de tensão e preocupação é mais fácil dormir do que modificar a respiração…
Modifique, mude, alterne… troque a opressão pela sensação de espaço…
É natural, não tem contra indicação…
E faz muito bem…
Tente… mais uma vez!!!
O ar é de graça e nos conecta com o universo.”

Divulgada em 3/05/2012 por Janio Alcântara

Dica Paz e Bem | Por Rossandro Klinjey

Em sua palestra, realizada na quinta-feira, dia 05 de abril, Rossandro Klinjey ao responder a pergunta de uma jovem da plateia sobre como defender um posicionamento político, moral ou social sem entrar em conflito direto com parentes e amigos ou ainda não ser omissa diante das atuais questões que estão em pauta no país, fez uma importante reflexão e indicou o documentário “Salvando o Capitalismo, disponível no NetFlix (https://www.netflix.com/br/title/80127558)

No documentário, de 2017, Robert Reich, economista norte-americano e ex-secretário de Trabalho da gestão Clinton, expõe suas ideias sobre o capitalismo e a desigualdade de renda entre americanos de diferentes origens.

Em sua resposta, além de indicar o documentário como forma de entendimento do jogo de poder que há não apenas nos Estados Unidos, mas em todo o mundo, Rossandro também ressaltou a importância de reconhecermos que o “candidato” ou “ideologia” que defendemos sempre terá virtudes e defeitos, assim como o “candidato” ou “ideologia” defendido por outra pessoa. É um comportamento infantil achar que há vítima e algoz ou ainda que estamos sempre certos em nossas opiniões.

Para finalizar, o palestrante ressaltou a questão espírita e transcendental que está por trás dessa polarização, as “duas chagas da Humanidade” que são o orgulho e o egoísmo. “O orgulho quando eu acho que apenas eu estou certo e que o outro é incompetente, incapaz e está errado. Egoísmo quando eu quero que apenas os meus se deem bem na vida, que apenas a minha família esteja bem. Enquanto eu pensar assim, todos nós padeceremos”, salienta Rossandro.

Quer ver a palestra completa, incluindo as perguntas feitas?

Clique aqui e acesse a palestra.

Inscreva-se no Canal Paz e Bem no You Tube.

Yoga

Para Chico Xavier, YOGA É UMA BÊNÇÃO!

Certa vez, foram gravadas palavras do médium Chico Xavier (1910-2002) em encontro com Professor Hermógenes (1921-2015), potiguar de Natal/RN, escritor, professor e divulgador brasileiro de “Hatha Yoga”.
Numa homenagem ao respeitado Professor, em video foi exibido, em 2007, no evento “Yoga Pela Paz”, o querido médium mineiro fala o seguinte sobre o(a) Yoga:

“…Nós não hesitamos em particularmente considerar a Yoga como sendo a benção mais preciosa que desceu do céu do mundo da Providência Divina, em nosso benefício na Terra, porque através da Yoga nós nos habilitamos para a preservação de nossa harmonia física e espiritual, até mesmo de um modo a poder cumprir com mais segurança e eficiência os ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, de modo que consideramos, a Yoga, uma bênção de Deus.”

Abaixo o video, onde o depoimento de Chico se situa entre os 57s e 1min32s.

https://youtu.be/OJxozrf5d44