Quantidade de leitores do nosso Feed

Receba nossas novidades digitando e cadastrando seu e-mail:


1 usuário navegando nesta página. Usuários: , 1 visitante,

Amor pessoal e universal


"O Amor é azulzinho" - Djavan

“Amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo COMO A SI MESMO” – Jesus, o Cristo

Muito se fala de Amor. Nos agrupamentos espirituais de um modo geral, é muito difundida a importância de amar a Deus através da parcela divina no outro, cuja medida é o reconhecimento da minha própria parcela divina.

Assim, existe simultaneamente, a possibilidade de sentirmos o Amor Universal…(aquela energia que nos move em favor de todos sem exceção) e também de sentirmos o Amor Pessoal (aquele que se sente em si mesmo quando se está na presença de uma pessoa mui especial, singular, diferenciada). O primeiro não exclui o segundo e vice-versa.

Revendo a romântica declaração “Fulano(a), você é o amor da minha vida“, repetida “n” vezes pelos apaixonados, disponho-me a refletir que ninguém é O amor de ninguém; que o Amor é um estado interno que se sente. Este estado de Amor não pertence ao outro, não se sente pelo outro e sim dentro de si.

Mesmo quando seu coração bate acelerado ao ver alguém que lhe é especial, acessando uma agradabilíssima sensação, ainda assim é você quem está sentindo, seja a inicial paixão ou o amor maduro, por conectar-se com uma pessoa especial.

O outro é apenas o gatilho para que acessemos o estado de amor e sintamos a energia da Vida percorrendo-nos os corpos físico e sutil.

Estar com o outro (fisicamente ou no pensamento) pode evocar em mim, o Amor que tenho em mim e o sinto. Então, a experiência do Amor Pessoal pode também ser um exercício para um Amor a ser sentido e vivenciado universalmente. Movimento gera Experiência que gera Consciência.

Por Sua Onipresença, (re)lembramos a verdade de que dEUs está no EU.

Conectamo-nos nEle dentro do “EU em mim”, do “EU no outro” e dos outros EUs.

Tudo isto merece ser refletido. Por isto, pergunto:

- Como está o seu amor? Você é amor de quem? Você é amor para quem?

- É possível separar o amor universal do amor pessoal, sem traumas?

- É possível negar a possibilidade do amor pessoal enquanto se ama universalmente?

- O que estou sentindo e pensando sobre mim mesmo? E em relação a um(a) outro(a) em especial? E a todos os outros em geral?


Este é uma reflexão minha sobre o Amor e que compartilho, devido à aproximação do “Dia dos Enamorados”.

“Todo ponto de vista é a vista de um ponto” – Leonardo Boff.

P. S.: Dedico esta postagem aos que já deram o importante passo de amar a nível pessoal e ainda não descobriram a ampliação da sensação de felicidade quando expandirem para o amor universal.

Escrevo também para aqueles que se sentem bem amando no modo “universal” e ainda estão excluindo a possibilidade do amor pessoal.

Por fim, dedico esta postagem a todos os que já entram no estado de graça proporcionado pelo amor pessoal e universal, ao mesmo tempo.

    This entry was posted in Diversos and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink. 29.901 visualizações.

    6 Responses to Amor pessoal e universal

    1. http://www.blogger.com/home?pli=1 ( com certeza voce é cheio de Luz ) A paz de Cristo esteja sempre contigo e entre toda a humanidade.

    2. Rosânie says:

      Janio vc está inspiradíssimo,
      sem comentários rs rs..
      Já comentando, PARABENS!!
      Pela sensibilidade,
      profundidade,
      filosofia, e Amor demonstrado no texto!!
      Obrigada por sociabiliza-lo conosco.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

    Postagens relacionadas